Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menteconspiradora

A minha Vénus Privada

Banhando-se num lago de pétalas de rosa, era assim que ela estava quando dei por mim a transpor a porta da casa de banho, deixei-me ficar a admirar tão belo quadro. Senti-me como um mero turista, perdido numa galeria de arte, a admirar algumas das mais belas obras primas de boca entreaberta. Ela virou a sua bela face para mim e deixou escapar um sorriso envergonhado que contagiou as suas faces que depressa ficaram avermelhadas, levou uma mão aos seus lábios e atirou-me um beijo e sorriu como nunca a vira sorrir, parecia que o sol tinha descido há terra e estava naquela banheira coberta de pétalas de rosas, os seus olhos brilharam iluminando toda a divisão, fiquei estático, mas ela estendeu uma das mãos e pediu que lhe passa-se a toalha, assenti com um acenar de cabeça e enquanto me dirigia para a toalha, ela apoio-se com ambas as mãos e começou a içar-se, lentamente saía da água mostrando o seu corpo branco, mais parecia uma estátua do mais branco mármore, talhada pelas mãos de um Miguel Angelo, a minha Vénus Privada. Agora sim, com ela fora da banheira, algumas pétalas escorriam lentamente pelo seu corpo como pequenos beijos que não queriam deixar aquela perfeição de mulher, e eu, parado, de toalha na mão, esperando que ela chega-se até mim, pensava para com os meus botões que não sou um mero turista? Sou é um gajo cheio de sorte, desde quando é que um pobre como eu, pode ter uma obra de arte em sua casa? Ela chegou-se a mim beijou-me na face e enroscou-se na toalha rodando sobre si mesma, olhou-me nos olhos e eu retribui o olhar, tentei beija-la e senti o quente do tecido, abri os olhos, ainda é de noite, foi apenas um sonho, não faz mal! pensei para comigo, vou voltar a adormecer a ver se têm continuação?

Devaneios!

Enquanto descia a rua embrenhado nos meus sórdidos pensamentos e olhava em redor há procura de uma boa razão para ler os comentários que fazem no meu blog, uma jovem na casa dos trintas e tal de robe vestido e com cara de quem acabara de sair do banho, pergunta-me se por acaso eu percebia algo de electricidade, ao que respondi que, “mas é claro, sou homem e como tal percebo de tudo”, ela sorriu, (e que belo sorriso! Algo assim só mesmo nos filmes de holliwood série hard que quase devoro ás carradas). Penetrei em sua casa de forma suave, tentando não ter acidentes de maior, e dirigi a minha pessoa até há fatídica tomada que era segundo parece o que estava a dar chatices, pedi gentilmente uma chave de fendas ou um busca-pólos mas a única coisa que ela tinha era uma velha faca de cozinha de bico queimado, mesmo assim aceitei e lá deitei eu mãos há obra, cerca de duas horas e sete choques depois, que me deixaram de cabelos em pé, pontas dos dedos de cor preta e deveras eléctrico, virei-me sorridente e lá lhe agradeci enquanto transpunha a porta para o lado de fora de maneira a voltar ás minhas deambulações mentais e ao olhar para trás vi o seu sorriso agora de forma triste, robe aberto que deixava ver as suas curvas e eu sorri de volta e segui o meu caminho ainda pensando porque será que alguém queria que eu troca-se uma tomada boa por outra tomada boa? É que a antiga não aparentava ter problemas de maior, pois a televisão era lá que estava ligada e parecia funcionar! Bem que se lixe, vou é seguir o meu caminho!

A verdade sobre as mulheres - parte 2

Hoje no regresso ao meu meio ambiente, fui censurado por ter revelado a verdade sobre as mulheres, fui atacado de todas as formas e feitios, riscaram-me os braços com canetas da BIC, ameaçaram destruir a maça vermelha que trincava com gosto (a maça não achou piada nenhuma ser comida enquanto várias pessoas olhavam espantadas), atiraram-me com alguns pensos higiénicos (alguns deles já usados que aproveitei para fazer um chá) e tentaram ofender-me chamando-me coisas como: guarda Abel e Castelo Branco, mas eu não me fiquei e atirei com o assunto que elas mais odeiam que os homens falem, “Ginecologia”, essa velha arte de as fazer por poucos segundos ficarem vulneráveis a coisas como o DIU e o Papa Nicolau. Terem de ficar para ali deitadas numa estranha cadeira de pernas abertas como um peru antes de levar com o recheio para ser colocado no forno de maneira a ficar quente e suculento, para depois e sem entraves ser comido por uma família inteira de esfomeados. É nestes momentos que a raça humana (só os homens) se sentem livres da opressão feminina.
A rata controla o mundo mas o ginecologista é o único que humilha a rata opressora.

A Verdade Sobre as Mulheres

As Mulheres há muito que controlam o verdadeiro sexo fraco, “o Homem”.
Senhores! Estamos em vias de extinção!
Já viram duas ou mais mulheres a conversarem sobre banalidades? Como beleza? Homens? Moda? Etc.? Pois é amigos na verdade a sua verdadeira comunicação é por vias telepáticas, as mulheres na verdade controlam tudo há sua volta telepaticamente, e mais! Controlam-nos a nós, cada vez há mais “Castelos Brancos” ou Metrosexuais” (apesar de não os ver a andar de metro nem a ter relações nesses sítios), (ainda bem, lá se iam as 14 fatias de pizza comidas com tanto carinho). Ao que isto está a chegar, temos de por um travão a isto e a única maneira é.... não fazer sexo, não lhes dar o que elas querem, não deixar que elas nos suguem a alma, lutem pela vossa independência, (não estou a dizer para virarem gays, não é isso, estou a dizer para se precaverem de forma a não ficarem conspurcados e a fazerem tudo o que elas querem) A rata controla o mundo, e nós o mero queijo estamos fora das ratoeiras e somos demasiado fáceis de levar.

Like

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

blogsportugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D