Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

menteconspiradora

Pensamentos

Desta vez tento não conspirar, ou isso ou nada me sai mesmo desta cabeça oca e sem sentido, não escrevo nada vai para meses, não ponho ideias em dia vai para anos, já nem sei o que é uma ideia, talvez seja aquilo que têm os idiotas, se for esse o caso então não sou um desses.

Mas o que me aborrece mesmo é a forma como deixamos que toda uma vida gire em volta do amor, passamos uma vida inteira à procura dele e quando pensamos que o achamos descobrimos que só existe amor num sentido, talvez porque elevamos demais os padrões ou os diminuímos de menos, a verdade é que acabamos amando alguém e dispostos a entregarmos a nossa alma e o nosso coração apenas para termos o prazer de ver a frieza com que o outro lado os recebe, muitas vezes com palavras do tipo:
“Para que é que eu quero isso?” ou “Porque é que não dás isso a quem o queira receber?” ou ainda aquele “Olha-me esta anedota a pensar que ia acabar ao lado dele!”, pois é a pessoa que amamos nem sempre o merece, mas a minha pergunta é, alguém realmente o mereceu?


Não, essa é a grande verdade, eu pelo menos falo por mim, que sou feio como o caraças e altamente anti-tesónico nem eu me amaria a mim próprio quanto mais, mas se os pensadores quando pensam do amor nos dizem coisas como:
“Todo o tacho tem a sua tampa” ou “A alma divide-se em duas metades e todos nós temos a nossa metade algures por ai”, talvez até seja verdade mas os casais mais felizes que já conheci tinham sempre membros opostos que se uniam numa enorme felicidade, “Uma mulher bonita com um homem feio”, “Um Homem bonito com uma mulher feia”, leva-me a pensar que a alma ao dividir-se deixa a beleza de um lado e a monstruosidade do outro e quanto mais belo a metade que se procura mais horroroso será aquele que procura em vão.

Sim, em vão, se a sociedade se lembrou de guiar tudo por padrões de beleza, mais difícil as coisas ficam para pessoas como eu, então para quê amar? Para quê fazer-mos disso um objectivo de vida? Para quê continuar a lutar por algo que não nos pertence?

Porque quando a maluca da Pandora abriu a caixa só a esperança ficou, só essa não abandonou a alma dos humanos dando-lhe uma força que por vezes parece sobre natural na vã ânsia de nunca desistir mesmo que isso nos acaba por levar à loucura ou nos destrua a nós, não reparando que algures alguém vê em nós esse objectivo mas estamos demasiado cegos a olhar para o lado!

Era tão fácil se as pessoas falassem sobre o que lhes vai na alma, se dissessem abertamente a quem amam quais os seus sentimentos e as pessoas desejadas só teriam de responder que sentiam o mesmo ou que era melhor procurar noutro lado, seria tão bom que um dia, nem que fosse um dia só nestes 365 umas vezes 366 que tem uns anos, que ninguém conseguisse mentir e só pudesse dizer a verdade. Um dia!

Like

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

blogsportugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D