Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

menteconspiradora

Ícaro

Há meses que ando nisto, penso e penso e volto a pensar, mato neurónios em catadupa, repenso sobre o que penso, volto a pensar sobre o que pensara antes e decido deixar tudo como está, talvez fosse mais fácil amar uma pedra, talvez fosse mais fácil nem sequer amar, mas isso vai contra a minha natureza, não consigo passar mais do que dois minutos seguidos sem pensar nela, sim nela, bato na mesma tecla apenas porque só penso nela.
Se a vissem parece um sonho, talvez seja mesmo um sonho, mas é um sonho só meu, ás vezes penso mesmo que estou a dormir e que quando o tão esperado momento em que colo os meus lábios aos dela acordo e está tudo normal, normal isto é eu sozinho, triste e apaixonado por um castelo de areia numa praia de bandeira vermelha, uma imagem nas nuvens durante uma tempestade, não é uma coisa má, é apenas algo que sei e sinto ser de tal maneira inacessível que mais valia desistir sem antes sequer pensar em começar, mas isso eu não consigo, sem ela qual seria o sentido de toda uma vida? Para quê realmente viver? Sim eu sei mulheres há muitas, mas ela é só uma, não preciso de muitas, uma basta-me, mas sei que penso demasiado alto, ela é a maça no último ramo da árvore aquele que mais perto pica do céu, perto da casa dos anjos assim como ela o é, talvez ai se sinta em casa não sei.
E eu sou apenas um desgraçado há espera que a maça caia para a poder apanhar, não tenho forças para subir e a apanhar, tenho medo de cair se subir demasiado alto, sou um medrica de primeira.
Gostava de a olhar nos olhos e lhe dizer que gosto dela e que quero namorar com ela, gostava de lho dizer, eu sei que um não é sempre garantido mas o que é um não para muitos é uma queda de grande altura para mim, um pobre ícaro em busca do seu sol. Era bom que o sol viesse até mim e me disse-se que queria namorar comigo mas as mulheres não pensam assim, querem homens decididos e não homens inseguros e medricas como eu, apesar de o ícaro saber que ia cair tentou e eu continuo com os dois pés no chão.
Até quando?

Like

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

blogsportugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D