Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

menteconspiradora

A estupidez e a mentira tiram-me do sério

download.jpg

 

 

Há duas coisas que me tiram do sério, a estupidez e a mentira, não falo de mentiras brancas, daquelas que não magoam e apenas escondem feias realidades, falo daquelas que prejudicam que criam erros e duvidas, que muitas vezes levam a desentendimentos e guerras sem sentido, essas mentiras tiram-me do sério, deixam-me carregado de raiva, raiva não só por saber que é mentira, mas porque a pessoa que o diz sabe que é mentira mas vai dizendo-a com ar de gozo e repetindo-a e defendendo-a como se fosse uma verdade absoluta.

A outra coisa que me tira do sério é a estupidez, não a estupidez de uma pessoa pouco inteligente, a estupidez de quem é inteligente, a estupidez a quem foram dadas todas as armas para ser melhor de quem pessoas se sacrificam e sofrem pelos sonhos dele, fazem esforços ás vezes inumanos fazendo das tripas coração lutando e no fim, a estupidez vem ao de cima e olhamos e vemos que quem é melhor desiste, rende-se sem lutar, não se esforça nem um minuto, baixa simplesmente os braços porque as coisas não lhe são dadas, ou oferecidas como o estúpido queria que fossem. Essa estupidez é de tal forma irritante que é como o meu Kriptonite, deixa-me fora de mim, num estado que não é o normal, nem consigo raciocinar como deve de ser e depois fico ainda pior ao ver que essa estupidez causa vitimas nos inocentes, não criadas por mim e pela minha raiva hulkiana, mas sim causadas pelo estúpido que simplesmente desiste sem nunca lutar.

Sou de uma família com muitos irmãos, que aos 9 anos o meu pai tinha saído de casa e abandonado todos, naquele tempo não havia pensões de alimentos, foi a minha mãe com a sua pequena reforma que fez das tripas coração para nos por comida na mesa e roupa no corpo, por maiores que fossem as contrariedades, lembro-me de cheias em que perdemos quase tudo, do roubo em que roubaram a reforma que era o dinheiro todo do mês, mesmo assim crescemos e quisemos ser mais do que o que éramos, mas sem posses certos sonhos eram impossíveis, mas tínhamos amigos, que tinham as posses que tinham as armas certas para o que queriam ser na vida, desde um que era o melhor do bairro, o miúdo tinha muito futebol naqueles pés, tinha o futuro todo à frente dele, era o avô que se sacrificava para o levar a todo o lado, fartou-se, desistiu, desistiu porque não quis lutar, hoje vejo-o e as conversas são sempre as mesmas, e se... e se..., a minha resposta é sempre a mesma, e se não tivesses sido estúpido?

Como ele conheço muitos outros, desde o miúdo que era ás no desenho, o jogador de andebol, o guitarrista, o baterista, o ciclista, eu sei que quando somos miúdos pensamos no agora, mas tenho 40 anos, olho para trás e estar com eles a conversa é sempre a mesma, e se... e se... e a minha resposta é sempre a mesma, "E se não tivesses sido estúpido?"

As vitimas, tanto da mentira como da estupidez são sempre as mesmas, aquelas que querem o melhor para nós, aquelas que lutam pelo melhor para nós, aquelas que estão prontas a lutar por nós até à última gota de sangue, essas pessoas são as primeiras baixas, as primeiras vitimas, pois uma parte delas morre naquele momento, hoje, olho para trás para essas vitimas e vejo nelas a ausência do fogo no olhar que tinham antes, um fogo que não mais se acende e que se transforma em neblina que vai alastrando e alastrando até que alastra a alma.

Gostava apenas que quem desiste de lutar simplesmente porque é estúpido, pensasse primeiro nas vitimas, naquelas que sofrem, pensem primeiro e deixem de ser estupidos!

 

Like

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs Portugal

blogsportugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D